LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

quinta-feira, 30 de junho de 2011

PLC 122 é sepultado: Brasil está enfim livre da tirania gay?

PLC 122 é sepultado: Brasil está enfim livre da tirania gay?



PLC 122 é sepultado: Brasil está enfim livre da tirania gay?

Julio Severo
Cumprindo sua palavra de que seria necessário criar um novo projeto anti-“homofobia”, a senadora petista Marta Suplicy tomou o primeiro passo, oficialmente sepultando o PLC 122, cujas ameaças eram bem conhecidas, inclusive num vídeo produzido por mim: http://www.youtube.com/watch?v=jIOOE0n2V5g



O sepultamento ocorreu durante almoço hoje entre o senador Magno Malta e Suplicy. Participaram também da reunião os parlamentares evangélicos socialistas senador Walter Pinheiro (PT/BA), deputada federal Benedita da Silva (PT/RJ) e o deputado Gilmar Machado (PT/MG).
Antes do início da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) em São Paulo na semana passada, Marta havia desabafado: “Estou tentando fazer um acerto para que não tenhamos tantos opositores ao projeto, mesmo que isso acarrete em algumas mudanças que não são boas. Estamos pensando em como fazer passar o conteúdo do PL 122, sem o número 122”.
A senadora reconheceu que a imagem do projeto de ditadura gay estava muito demonizada. “O nome ficou muito complicado de se aprovar, o que, no conteúdo, não é mais complicado. Temos um conteúdo mais ou menos acordado. O que está difícil de acordar é o que fazemos com esse número, porque demonizaram tanto que eles não sabem o que fazer agora para dizer que o demônio não é mais demônio”, declarou Marta Suplicy, referindo-se aos opositores do projeto.
Desde o início de 2007, com uma importante ajuda de católicos, tenho alertado o Brasil contra o PLC 122. Mas não posso dizer que podemos comemorar, pois a intenção de Marta Suplicy nunca foi enterrar a obsessão política de impor uma ditadura gay no Brasil..
Do cemitério onde sepultaram o PLC 122 podem criar um novo projeto Frankenstein. Vontade petista para isso não falta.
Divulgação: www.juliosevero.com
 

terça-feira, 28 de junho de 2011

Homossexuais abusaram, violaram e estupraram o ARCO-ÍRIS

(...)
Não, não apareceu nenhum movimento, até onde eu saiba, com a pretensão de legalizar o canibalismo ou sexo entre pais e filhos, mas há grupos homossexuais buscando legalizar as relações sexuais entre homens e meninos.

Contudo, não é só a língua e os exemplos do reino animal que o movimento ideológico homossexual estupra. Nem o arco-íris escapa da violência deles.

O arco-íris foi criado por Deus para nos ajudar a lembrar da graça de Deus que salvou Noé e sua família de um mundo que havia sido condenado à destruição por seus pecados. Mas hoje esse poderoso símbolo divino é usado pelo movimento ideológico homossexual para doutrinar a sociedade a respeitar e reverenciar os atos homossexuais como se fossem tão naturais quanto o sexo normal.

O sexo homossexual é realmente natural?

A sociedade humana da antiguidade também via seus pecados como naturais. Para lidar com a dureza deles, Deus decidiu o castigo deles e permitiu o Dilúvio, que destruiu toda a civilização daquele tempo. Os únicos que Deus salvou foram Noé e sua esposa, juntamente com seus filhos e esposas.

Se Noé fosse homossexual, não teria tido filhos, e a história humana teria se encerrado na sua morte.

A diferença entre ato homossexual e o ato conjugal é que só a relação normal entre marido e esposa é vital para a sobrevivência humana. Um Noé com esposa e filhos com esposas foram suficientes para povoar a terra com muitas outras famílias, crianças, tradições e culturas — tudo originando-se do ato conjugal normal.

Com o homossexualismo, a extinção engole a sobrevivência e a vida. Meninos se tornam meros objetivos de prazer homossexual. E a vida perde o sentido. O homossexualismo engole, turva, mutila, aleija, corrompe e destrói famílias, crianças, tradições e culturas.

Relação conjugal produz bebês. Produz vida. Relação homossexual produz… doenças, vícios, fixação no orifício do traseiro e em seu conteúdo. Enfim, produz podridão.

Com o homossexualismo predominando, é desnecessário um Dilúvio para destruir a terra. Em uma geração a extinção é certa.

Portanto, repudio os estupros que o movimento ideológico homossexual comete contra tudo e todos. Por mais que eles mintam, pervertam e desfigurem as palavras, sou homoafetivo, porque tenho afeição e afetividade por meus filhos e amigos do meu sexo.

E carrego a bandeira do arco-íris, que pertence a Deus e é símbolo do Deus que resgatou Noé do Dilúvio e hoje nos resgata dos pecados, inclusive do homossexualismo, através de Jesus Cristo. Depois do Dilúvio, a Bíblia conta o que aconteceu:

“Deus abençoou Noé e os seus filhos, dizendo o seguinte: — Tenham muitos filhos, e que os seus descendentes se espalhem por toda a terra. Eu acertarei as contas com cada ser humano e com cada animal que matar alguém. O ser humano foi criado parecido com Deus, e por isso quem matar uma pessoa será morto por outra. — Tenham muitos filhos, e que os descendentes de vocês se espalhem por toda a terra. Deus também disse a Noé e aos seus filhos: — Agora vou fazer a minha aliança com vocês, e com os seus descendentes, e com todos os animais que saíram da barca e que estão com vocês, isto é, as aves, os animais domésticos e os animais selvagens, sim, todos os animais do mundo. Eu faço a seguinte aliança com vocês: prometo que nunca mais os seres vivos serão destruídos por um dilúvio. E nunca mais haverá outro dilúvio para destruir a terra. Como sinal desta aliança que estou fazendo para sempre com vocês e com todos os animais, vou colocar o meu arco nas nuvens. O arco-íris será o sinal da aliança que estou fazendo com o mundo. Quando eu cobrir de nuvens o céu e aparecer o arco-íris, então eu me lembrarei da aliança que fiz com vocês e com todos os animais. E assim não haverá outro dilúvio para destruir todos os seres vivos. Quando o arco-íris aparecer nas nuvens, eu o verei e me lembrarei da aliança que fiz para sempre com todos os seres vivos que há no mundo. O arco-íris é o sinal da aliança que estou fazendo com todos os seres vivos que vivem na terra.” (Gênesis 9:1,5-17 BLH)

O uso do arco-íris para glorificar o sexo homossexual é um estupro violento de um sinal da graça de Deus, depois que o Dilúvio destruiu um mundo onde homens e mulheres não queriam parar de pecar.

O arco-íris não foi criado pelo movimento homossexual nem foi criado para homens que estão determinados a não sair do pecado homossexual.

O arco-íris é um lembrete poderoso do pecado que destrói e do Deus que salva do pecado e da destruição.














 
 

Marta Suplicy quer mudar nome e número do PLC 122 a fim de enfraquecer a oposição

Se o Congresso não aprovar uma lei anti-“homofobia”, senadora recomenda recorrer ao STF
Texto do Portal Terra
A senadora Marta Suplicy disse neste domingo, antes do início da Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) em São Paulo, que algumas mudanças devem ser feitas no Projeto de Lei (PL) 122, que criminaliza a homofobia. Segundo ela, a ideia é repensar o nome do projeto para fazer com que seu conteúdo seja aprovado.
“Estou tentando fazer um acerto para que não tenhamos tantos opositores ao projeto, mesmo que isso acarrete em algumas mudanças que não são boas. Estamos pensando em como fazer passar o conteúdo do PL 122, sem o número 122”, disse.
Segundo a senadora, a mudança do nome ajudaria a tirar a “imagem demonizada” que foi associada ao projeto. “O nome ficou muito complicado de se aprovar, o que, no conteúdo, não é mais complicado. Temos um conteúdo mais ou menos acordado. O que está difícil de acordar é o que fazemos com esse número, porque demonizaram tanto que eles não sabem o que fazer agora para dizer que o demônio não é mais demônio”, declarou Marta Suplicy, referindo-se aos opositores do projeto.
E se a estratégia de Marta para aprovar o PLC 122 com outro nome e número enfrentar dificuldades no Congresso? Marta recomenda recorrer ao STF:
“Se não for possível fechar um acordo no Congresso, a comunidade [ativista gay, que inclui ela e muitos outros socialistas] deveria buscar o STF”.
Divulgação: www.juliosevero.com
 

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Acredito que a ameaça do fundador do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott ao JUIZ Jeronymo Pedro Villas Boas (defensor da Constituição e atitude de mostrar a insconstitucionalidade da decisão do STF), precisa urgente de Proteção Policial dos gayzistas e heterofóbicos!

Casal gay pede que juiz reconsidere a sua união estável


de São Paulo

A defesa do casal homossexual que teve a união civil cancelada por um juiz de Goiânia vai pedir hoje para que o magistrado reconsidere a decisão. Jeronymo Pedro Villas Boas, da 1º Vara da Fazenda Pública da cidade, tomou a decisão na sexta-feira.

A advogada Chynthia Barcellos, que defende o casal Liorcino Mendes, 47, e Odílio Torres, 23, disse que também vai entrar hoje com uma reclamação junto ao Tribunal de Justiça de Goiás e ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Mendes e Torres firmaram um dos primeiros contratos de união gay do país após o STF reconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo como uma entidade familiar.

A defensora disse que entrará com os recursos em parceria com a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Goiás. Barcellos é presidente da Comissão de Direito Homoafetivo da entidade.

A advogada argumentou que o juiz deveria ter se subordinado ao Supremo. Barcellos disse que a decisão dificulta, por exemplo, que um deles seja dependente do plano de saúde do outro.

A corregedoria do TJ goiano informou que reúne documentos sobre o caso e que vai tomar hoje uma decisão a respeito do juiz.

Pocurado por telefone ontem, Villas Boas disse que estava ocupado e não poderia falar. Ele disse à Folha anteontem que não agiu por discriminação e que tomou a medida porque o STF "ultrapassou os limites". Ele determinou também que os cartórios de Goiânia não façam o contrato de união entre homossexuais.

O fundador do Grupo Gay da Bahia, Luiz Mott, afirmou que "é fundamental que esse juiz seja severamente punido pelos seus iguais, pois constitui um perigo para a democracia e para a proteção civil dos cidadãos brasileiros".

Fonte: http://www.24horasnews.com.br/index.php?mat=373849

Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com/