LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

sábado, 26 de janeiro de 2013

Agressão contra jovens católicos em Curitiba repercute nos EUA


Agressão contra jovens católicos em Curitiba repercute nos EUA


Segue o link de um artigo do importante site pró-vida americano Life Site News que comenta a agressão que os jovens caravanistas do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira sofreram em Curitiba por parte de agitadores pró-aborto e pró-homossexualismo.
Fonte: http://ipco.org.br/home/noticias/agressao-contra-jovens-catolicos-em-curitiba-repercute-nos-eua

Tal o Mestre, tais seus discípulos - Não há quem não se indigne até o máximo assistindo o vídeo postado no site do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira sobre a covarde agressão perpetrada por um grupo de agitadores pró-homossexuais (socialistas e esquerdistas) de Curitiba


Marcos Luiz Garcia
Não há quem não se indigne até o máximo assistindo o vídeo postado no site do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira sobre a covarde agressão perpetrada por um grupo de agitadores pró-homossexuais de Curitiba, contra os caravanistas da Cruzada pela Família.
Palavrões, gestos obscenos, gritos, zombaria, escarros, agressão física sangrenta, provocações as mais insultantes por parte desses agitadores não conseguiram, entretanto, vergar a presença de espírito, a prudência, a determinação e a coragem dos valorosos caravanistas.
O êxito indiscutível que a campanha contra o aborto e a agenda homossexual vai adquirindo junto à opinião pública faz compreender a “perda das estribeiras” por parte do lobby homossexual e seus orientadores. A imensa maioria dos brasileiros não só não se simpatiza com a agenda homossexual como lhe é contrária. Daí o grande apoio que vem recebendo a campanha.
Tratava-se pois, para os defensores da agenda homossexual, de desdourar a imagem brilhante da caravana e dos caravanistas do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira com um monstruoso ataque. Quantas considerações poderiam ser feitas em face de uma situação caracterizada por um confronto de posições tão opostas. E várias, muito a propósito aliás, já foram feitas.
Uma consideração que se pode acrescentar à gloriosa panóplia é a da semelhança de situação com o Divino Salvador entregue nas mãos dos verdugos.
De um lado os que professam publicamente a autêntica Fé católica pregada por Nosso Senhor Jesus Cristo. De outro lado, uma minoria atrevida ao extremo, defendendo abertamente pecados que ofendem diretamente os preceitos de Nosso Senhor e de Sua Santa Religião.
Os defensores da Lei de Deus, sob o impacto da torpe agressão, se viram isolados, encontrando apenas na sua confiança e espírito sobrenatural, o apoio para manter corajosamente alta a condição, que vai se tornando cada vez mais evidente, de verdadeiros confessores da Fé.
Quanto aos opositores da Lei de Deus, um ódio e um atrevimento, apesar de seu número insignificante, nascidos do respaldo que recebem de quem lhes permite fazer o que bem entendam, sem o menor risco de sofrerem consequência alguma.
O que será do Brasil se a agenda homossexual vencer?
O vídeo também dá ocasião dos brasileiros fazerem uma ideia. Contemplando o quadro de Nosso Senhor sendo zombado por um soldado, composto por Carl Bloch (ver imagem acima), não há exagero em afirmar que vivemos uma situação, por alguns aspectos, muito semelhante. O mesmo ódio, o mesmo ímpeto de agressão, a mesma sanha do carrasco contra Nosso Senhor é vista na agressão sofrida pelos caravanistas.
Por outro lado, a mesma calma, a mesma mansidão, a mesma distância psíquica, e por que não dizer, embora em nível muito menor que a do Salvador, mas reflexo sublime dela, a mesma superioridade está expressa nas fisionomias dos caravanistas. Uma espécie de “aura dourada” sobrenatural envolveu de modo saliente os caravanistas, isso salta aos olhos vendo o filme. É comovente contemplar essa aura, pois ela é o galardão prometido por Nosso Senhor quando disse no sermão das bem-aventuranças:
“Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da Justiça, porque deles é o Reino dos Céus. Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem, perseguirem e mentirem, dizendo todo mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande vosso galardão nos céus, porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.” (São Mateus 5, 10 – 12)
Afinal, tal o Mestre, tais seus discípulos.

Fonte: http://ipco.org.br/home/noticias/talmestretaisdiscipulos


Divulgação:



sábado, 19 de janeiro de 2013

Homossexuais Franceses Participam de Manifestação contra Casamento Gay


Homossexuais Franceses Participam de Manifestação contra Casamento Gay

Wendy Wright
NOVA IORQUE, EUA, 17 de janeiro (C-FAM) Talvez um milhão de pessoas tenham marchado em Paris no domingo passado e nasembaixadas francesas no mundo inteiro contra um projeto de lei que pretende legalizar o casamento de mesmo sexo na França. Uma das surpresas na campanha francesa para defender o casamento tradicional é que os homossexuais se uniram aos líderes e ativistas pró-família na campanha.
Crianças francesas protestam contra “casamento” gay
“Os direitos das crianças são mais importantes do que o direito de ter acesso às crianças”, foi a frase popular de manifestantes como Jean Marc, um prefeito francês que também é homossexual.
Muito embora a França seja conhecida por sua atitude liberal para com o sexo, líderes pró-família rapidamente organizaram uma imensa multidão. Quando o presidente Hollande anunciou suas intenções de legalizar o casamento homossexual em novembro passado, uma manifestação contra o projeto de lei reuniu 100.000 manifestantes. E quando o que começou como um debate sobre direitos homossexuais mudou para um debate sobre o direito das crianças a uma mãe e um pai, o número de pessoas na oposição explodiu e incluiu aliados improváveis.
Xavier Bongibault, um homossexual ateu, é um porta-voz proeminente contra o projeto de lei. “Na França, o casamento não tem a intenção de proteger o amor entre duas pessoas. O casamento francês tem a intenção específica de dar famílias às crianças”, ele disse numa entrevista. “O estudo mais sério feito até agora… demonstra bem claramente que uma criança passa por problemas quando é criada por uma dupla homossexual”.
Jean Marc, que viveu com um homem durante 20 anos, insiste: “O movimento LGBT que manifesta suas opiniões nos meios de comunicações… As opiniões deles não são minhas opiniões. Como sociedade, não deveríamos estar incentivando isso. Não é biologicamente natural”.
Indignado com o projeto de lei, Jean-Dominique Bunel, um homem de 66 anos de idade que é especialista em direito humanitário e que tem feito trabalho humanitário em regiões devastadas pela guerra, disse ao jornal Le Figaro que ele “foi criado por duas mulheres” e que ele “sofria com a falta de um pai, com a falta de uma presença diária de pai, uma figura e exemplo adequadamente masculinos, algum contrapeso ao relacionamento de minha mãe com a amante dela. Tive consciência disso muito cedo na minha infância. Vivi essa ausência de um pai, experimentei-a, como uma amputação”.
“Logo que fiquei sabendo que o governo ia oficializar o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo, fui atirado a um estado de confusão”, explicou ele. Seria “institucionalizar uma situação que havia deixado consideráveis cicatrizes em mim. De forma alguma posso permitir essa injustiça”. Se as mulheres que o criaram tivessem casado, “eu teria pulado na briga e teria entrado com uma queixa diante do Estado francês e diante do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, pela violação do meu direito a uma mãe e a um pai”.
Uma coalizão pró-família que inclui homossexuais é certamente diferente das coalizões nos Estados Unidos e provavelmente da maioria dos lugares do mundo. Não se sabe a razão por que pelo menos alguns homossexuais franceses não só favoreceriam o casamento entre homem e mulher, mas também fariam campanhas contra o casamento homossexual. Pode ser a experiência da França, que tem permitido uniões civis, para todos os casais e duplas, por mais de uma década. Qualquer que seja a razão, essa coalizão potente pode deter o casamento homossexual na França.
A Assembleia Nacional da França começará a considerar o projeto de lei em 29 de janeiro.
Tradução: www.juliosevero.com
Fonte: Friday Fax
Leitura recomendada:
Apesar de protestos em massa contra “casamento” gay, governo socialista da França diz que não vai ceder


Fonte> http://defesa-hetero.blogspot.com.br/2013/01/homossexuais-francesese-agora-depjean.html#.UPsGLF7BFic



Divulgação: