LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
A CULTURA GAY É INTOLERANTE E NÃO CONSEGUE VIVER NA DIVERSIDADE COM RESPEITO

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

(VÍDEO) - INTOLERÂNCIA FASCISTA-PETISTA-MARXISTA-SOCIALISTA-FEMINISTA-COMUNISTA OFENDEM CULTO EVANGÉLICO




SILAS MALAFAIA COMENTA PRISÃO DE LÉSBICAS DURANTE CULTO DE FELICIANO


O líder religioso apontou os dois crimes cometidos pelas jovens


O pastor Silas Malafaia escreveu um texto em seu site Verdade Gospel comentando sobre a prisão de duas jovens que foram presas por se beijarem durante a pregação do pastor Marco Feliciano no último domingo (15) na cidade de São Sebastião, litoral de São Paulo.
Feliciano percebeu a movimentação dos ativistas, uma das jovens era a organizadora do “beijaço gay” que pedia a saída do pastor da Comissão de Direitos Humanos e Minoria da Câmara (CDHM), e pediu para que a polícia retirassem as jovens que estavam desrespeitando o local de culto.
Para Malafaia a atitude mostra que o ativismo gay é intolerante e não sabe respeitar quem diverge de suas práticas. O pastor também criticou a atitude da imprensa que, ao noticiar o caso, tomou partido colocando o deputado como o grande vilão da história.
Para o apresentador do Programa Vitória em Cristo o caso não foi encerrado da forma como se deveria, pois baseado na lei as jovens cometeram um crime e mereciam ser presas.
“Essas duas lésbicas mereciam ir para a cadeia porque cometeram dois crimes. Um, contra a lei maior, a Constituição Brasileira, que no artigo 5º, no inciso 6″, diz ele citando o trecho que garante a proteção do Estado ao local de culto. O segundo crime seria o de perturbar e escarnecer o local de culto como está previsto no Artigo 208 do Código Penal.
“Isto é apenas um pequeno sinal do que eles desejam impor à sociedade e o que eu lamento é que ainda tem muitos pastores e cristãos que estão na cegueira espiritual e não conseguem ver a trama diabólica para nos obrigar a aceitar suas práticas.”

Ativistas gays se beijam em culto que Marco Feliciano é palestrante



 
Será que estamos prestes a assistir a mídia brasileira usar o pastor e deputado federal Marco Feliciano outra vez como bode expiatório, para desviar a atenção de brasileiros de um assunto que o PT quer que NÃO haja exposição? 

Saiu no UOL uma matéria abordando o comportamento inconveniente de duas jovens, Joana Palhares, 18 anos, e Yunka Mihura, de 20, no evento Glorifica Litoral, realizado em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, no domingo de 15 de setembro. Elas se beijaram durante a pregação de Marco Feliciano e o pastor, usando autoridade de parlamentar federal, pediu que a Guarda Civil Militar retirasse-as do local algemadas.

É importante frisar:

1º - Constituição Federal: Art 5º, VI , declara que é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias.

2º - A repórter Gabriela Lousada escreveu com imparcialidade, citou o advogado das ativistas e comentou as postagens de Feliciano em seu perfil no Twitter. Após expulsar garotas que se beijaram em culto, Feliciano diz que foi baderna (Gabriela LousadaDo UOL, em Santos (SP)16/09/201318h07).

Outras abordagens da mídia:


Vídeo da TV Vanguarda via Canal da Direta:


Rodrigo Constantino, para a Veja: E se fosse o Feliciano pregando em uma passeata gay?

WAPTV Comunicação: Marco Feliciano mostra vídeo do beijo das lésbicas no Glorifica Litoral 

E.A.G.

Fonte: http://belverede.blogspot.com.br/2013/09/marco-feliciano-ativistas-gays-se-beijam-culto-evangelico-algemadas-presas.html

Lésbicas desrespeitam culto evangélico e acabam detidas; Pr. Silas comenta

Imagem: DivulgaçãoPor meio de seu twitter, o deputado federal e pastor Marco Feliciano esclareceu o motivou de ter pedido que duas jovens que estavam se beijando no “Glorifica Litoral”, em São Sebastião (SP), no último domingo (15), fossem retiradas do local pela polícia.
Ele era o preletor da noite e destacou que o local de culto é protegido por lei e que as manifestantes feriram o código penal. “Toda vez que indivíduos adentram o local de culto, seja onde for, e atentam sem pudor contra nossos princípios, ferem nossos direitos”, escreveu.
As jovens Joana Palhares, 18 anos, e Yunka Mihura, de 20, foram retiradas pela Polícia Militar e depois de serem levadas à delegacia passaram a afirmar que foram agredidas pelos guardas, mas segundo Feliciano elas é que chutaram os policiais. “Indivíduos invadem o culto, desrespeitam crianças, idosos, agridem as autoridades, chutam os policiais, e por fim dizem ser vitimas?”, questionou. As jovens ameaçam processar os PMs e o pastor.
Antes de serem retiradas do local, o Feliciano pediu cautela aos guardas, pois sabia que os ativistas alegam agressão física nesses casos. “Alguém está por trás disto usando estes indivíduos como massa de manobra para tentar desestabilizar a ordem. Já detectamos em vários lugares que tais ‘ativistas’ são insuflados por professores e por partidos políticos. Ganham dinheiro para isto”, disse.
Não intimidado com a repercussão do caso, Feliciano diz que isso só acontece com os evangélicos porque “somos pacatos”, mas deixa um alerta: “Não somos trouxas”, prometendo chamar a lei sempre que for necessário.
Imagem: divulgaçãoPr. Silas comenta
Cada vez mais fica provado o que o ativismo gay quer: privilégios para fazerem e falarem o que bem desejarem contra qualquer um que se levante contra suas práticas e ao mesmo tempo se protegerem para que tenham imunidade sobre o que bem entenderem fazer. E o que me espanta é ver a imprensa a favor desses absurdos, num tremendo preconceito em relação à religiosidade.
Essas duas lésbicas mereciam ir para a cadeia porque cometeram dois crimes. Um, contra a lei maior, a Constituição Brasileira, que no artigo 5º, no inciso 6 diz: “É INVIOLÁVEL A LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA E DE CRENÇA, SENDO ASSEGURADO O LIVRE EXERCÍCIO DOS CULTOS RELIGIOSOS E GARANTIDA, NA FORMA DA LEI, A PROTEÇÃO AOS LOCAIS DE CULTO E SUAS LITURGIAS”. Veja que a lei não fala do templo, mas do lugar do culto, no caso, a prefeitura cedeu a praça para realização do culto, portanto, o local não pode ser violado.
O segundo crime é contra o artigo 208 do Código Penal, que prevê de um mês a um ano de cadeia e multa por quem perturba ou escarnece de culto religioso. Isto é apenas um pequeno sinal do que eles desejam impor à sociedade e o que eu lamento é que ainda tem muitos pastores e cristãos que estão na cegueira espiritual e não conseguem ver a trama diabólica para nos obrigar a aceitar suas práticas. A coisa é mais feia do que a gente pensa! ACORDA, POVO DE DEUS! ACORDEM, CIDADÃOS DE BEM DO BRASIL!
Assista ao vídeo:

Fonte: http://www.verdadegospel.com/lesbicas-desrespeitam-culto-evangelico-e-acabam-detidas/




Rachel comenta sobre polêmica em 
culto de Marco Feliciano

Nenhum comentário:

Postar um comentário